Claude Galien



As informações que conseguimos compilar sobre Claude Galien foram cuidadosamente revisadas e estruturadas para torná-las tão úteis quanto possível. Você provavelmente veio aqui para saber mais sobre Claude Galien. Na Internet, é fácil se perder na confusão de sites que falam sobre Claude Galien e ainda não fornecem o que você quer saber sobre Claude Galien. Esperamos que nos informe nos comentários se você gostar do que leu sobre Claude Galien abaixo. Se as informações sobre Claude Galien que fornecemos não são as que você estava procurando, por favor nos informe para que possamos melhorar este site diariamente.

.

Claude Galien
Retrato de Claude Galien
Gravura de Georg Paul Busch.
Biografia
Aniversário Entre e
Pergamum
Morte Entre e
Roma
Pai Aelius Nicon ( em )
Temático
Profissão Médico escritor ( em ) , cirurgião , biólogo e neurobiologista ( em )
Data chave

Galeno (em grego antigo  : Γαληνός Galīnós / Galênós  ; em latim  : Claudius Galenus ), nascido em Pérgamo, na Ásia Menor, em 129 e falecido por volta de 201 , é um médico grego da Antiguidade que atuou em Pérgamo e em Roma, onde tratou vários imperadores.

Autor prolífico, ele permanece na história um personagem que soube combinar um poder especulativo e uma pesquisa apaixonada da realidade médica. Apoiando-se tanto na razão ( logos ) quanto na experiência ( empeiria ), que ele chama de "suas duas pernas", ele se esforçou ao longo de sua vida para construir um sistema explicativo global que reúna as partes da arte médica.

Ele é, portanto, considerado o último dos grandes médicos criativos da Antiguidade Greco-Romana e com Hipócrates , um dos fundadores dos grandes princípios básicos em que se baseia a medicina ocidental. Ele priorizou a observação anatômica e procurou fazer hipóteses sobre os processos fisiológicos realizando experimentos com animais.

Sua obra foi pela primeira vez em grande parte esquecido na Europa Ocidental até o XI th  século. Transmitido para Bizâncio e para o mundo muçulmano , ele retornará à Europa primeiro das traduções do árabe para o latim e depois da Renascença , fontes gregas originais.

A teoria médica Galen dominado medicina até o XVIII th  século, mas vai curvar-se ao desenvolvimento do método experimental que irá estabelecer, em uma base empírica sólida, modelos de cardiovascular , respiratório , digestivo e nervoso . Essa medicina greco-romana, portanto, acabou sendo eliminada da prática médica ocidental.

O gentio “Claudius” ( Claudius , Κλαύδιος) é encontrado, por exemplo, em um manuscrito bizantino copiado por volta do ano 1200 DC. JC. Há muito tempo se pensa que este componente do nome surgiu de um erro que surgiu na tradição do manuscrito latino, mas a fonte do grego bizantino é anterior a todos os textos galênicos latinos que transmitem o gentio Cláudio. Antes da descoberta da testemunha bizantina preservada em Atenas, pensava-se que a abreviatura latina Cl. ( Clarissimus ), que significa "brilhante" ou "ilustre", estava afixada como um título em algumas fontes latinas hipotéticas (Cl. Galeno: "o muito ilustre Galeno ”) e que ela poderia ter sido confundida com um gentio. De acordo com a hipótese errônea de V. Nutton, o estudioso bizantino Jean Argyropoulos teria dado a conhecer a Bizâncio no século XV.

Biografia

Infância em Pergamon (129-143)

Galeno nasceu em 129, em Pérgamo , em Aeolid (atual Bergama , ao norte de Esmirna, na Turquia ), em um ambiente rico. O nome de Galenos ( Γαληνός ) está bem documentado desde a Antiguidade. O gentio Cláudio (Κλαύδιος) é encontrado apenas em alguns manuscritos bizantinos e em um grande número de livros impressos no Ocidente.

A cidade de Pergamon foi um dos maiores centros científicos, literários e artísticos do mundo greco-romano. Reinado longo e independente, tornou-se romano em 133 AC. AD , mas não o menos continuaram a desfrutar de prosperidade extraordinária para o II º  século dC.

Nicon, o pai de Galen, é arquiteto e agrimensor . Ele ensina moralidade estóica a seu filho . Ao longo de sua vida, Galeno indica que se esforçou por respeitar os preceitos do pai, tendo o cuidado de não se deixar atingir por perdas materiais e de não sofrer desnecessariamente. Seu pai será um modelo de autocontrole e afabilidade que ele vai opor aos excessos de sua mãe: “Tive a sorte de ter um pai completamente inacessível a qualquer raiva, perfeitamente justo, honesto e amigo dos homens, uma mãe, pelo contrário, profundamente irascível a ponto de às vezes morder suas criadas e sempre gritar e brigar com meu pai ... "

Seu pai também passou para ele seu amor pelo campo. Ele administrava propriedades agrícolas onde o jovem Galen deve ter passado parte de sua infância. Posteriormente, ele manifestou em seus escritos farmacológicos um excelente conhecimento das plantas medicinais. Seu pai, que também era um conhecedor de geometria, aritmética e cálculo, deu-lhe os primeiros rudimentos do conhecimento científico até os 14 anos. Acredita-se que ele também recebeu treinamento no estudo de textos clássicos por um mestre de gramática ( grammatikos ), bem como na arte de compor discursos por um retórico ( retórico ).

Da filosofia à medicina (143-148)

Aos 14 anos, Galen começou a estudar filosofia. Mais tarde, ele se lembrará de quatro de seus mestres: um estóico, um platônico, um peripatético e um epicurista. Dirá nos próprios livros que o primeiro não lhe dá as "provas retóricas" do que propõe, que o segundo chega a conclusões contrárias à anterior e que as seguintes não são mais conclusivas. Ele emerge dessa formação filosófica "profundamente angustiado", em suas próprias palavras. Galeno esperava aprender uma arte de raciocínio que permitisse a todos concordar, no modelo de demonstrações geométricas capazes de se impor a todos. Decepcionado, decide então “distanciar-se do discurso filosófico” ( Livros próprios XIV, 6), mas sem romper totalmente com a reflexão filosófica.

Seu pai, que tinha grandes ambições para ele, decidiu fazê-lo começar a estudar medicina, enquanto continuava seus estudos em filosofia. Ele tinha então 16 anos. Esta orientação para a medicina provavelmente decorre da escolha de uma disciplina prática que deveria permitir-lhe escapar da dúvida pirrônica em que o espetáculo dos choques de sistemas filosóficos incompatíveis o tinha mergulhado, cada um com sua própria verdade sem qualquer metodologia. eles.

A formação médica foi realizada com professores conceituados. Em 145, Galeno vai pela primeira vez à escola de Satyros na esperança de obter um bom conhecimento de Hipócrates (460/370 aC ), o "pai da medicina" europeu. Depois de assistir a um debate sobre o empirismo na medicina, ele acompanhou o ensino de um dos palestrantes, chamado Pélops.

Em 148, a morte de seu pai deixou-lhe uma fortuna considerável. Ele tinha então 19 anos. Ele confiou a gestão de sua propriedade a um administrador e partiu pelo mundo greco-romano para estudar com os médicos mais famosos do império.

Viagens de estudo de Esmirna a Alexandria (148-157)

Ele vai primeiro a Esmirna, onde encontra seu mestre Pélops. Ele escreveu um livro sobre o movimento do tórax e do pulmão no qual registrou o ensino de Pélops. Ele então ficou em Corinto (c. 151) Para aprender com os numisianos antes de embarcar para Alexandria, no Egito.

Ele vai ficar pelo menos quatro anos em Alexandria com o desejo de estudar anatomia lá. A passagem por Alexandria parecia constituir uma espécie de etapa obrigatória na formação de qualquer médico ambicioso da época. A cidade egípcia tornou-se, nos primeiros Ptolomeus no III th  século BC. nossa era, um importante centro da vida intelectual da civilização helenística. Dois dos maiores anatomistas da Antiguidade, Herófilo e Erasístrato , puderam realizar dissecações humanas que trouxeram avanços significativos no conhecimento das estruturas internas do corpo humano. Quase quatro séculos depois, quando Galeno chegou a Alexandria, a dissecação de cadáveres não era mais praticada. Galen ficará satisfeito em “estudar ossos humanos” lá.

Com base em seus escritos posteriores, Galeno parece ter ficado bastante desapontado com sua estada em Alexandria. Em seu Comentário às Epidemias , ele apresenta seus professores alexandrinos como estudiosos apenas na fala, que são completamente incapazes de reconhecer uma doença. Ele não apreciava muito a comida egípcia composta por carunhas, víboras, carne de macacos, camelos e até burros. Mas, ele nos diz, como os egípcios estão acostumados, eles conseguem se livrar rapidamente desses alimentos ruins antes que causem danos ao corpo.

O Egito sempre foi famoso por suas drogas, perfumes e pomadas. Galeno mencionará muitos, especialmente em seus escritos farmacológicos: óleo de rícino ( kikinon ), raiz- forte ( rhaphaninon ), óleo de mostarda ( sinapinon ) e pimenta. Também se interessou por uma árvore curiosa, a persea ( Cordia myxa ), cujas folhas são soberanas em cataplasma contra a dor de cabeça, ou em uma argila com preciosos efeitos terapêuticos.

Galen finalmente voltou aos 27 anos para sua cidade natal.

O médico dos gladiadores em Pergamon (157-161)

A Acrópole de Pérgamo, vista do santuário de Asclépio , renomado centro médico onde Galeno recebeu indicações terapêuticas durante os sonhos.

De volta à sua terra natal, durante o verão de 157, Galeno se empanturrou tanto dos bons frutos de seu país que teve indigestão, mas também, ele nos conta, uma doença gástrica aguda. Provavelmente era uma amebíase , responsável por disenteria frequente em toda a bacia do Mediterrâneo.

Esse episódio desempenhou um papel tão importante em sua vida que ele o menciona três vezes em seus escritos. Ele declara ter decidido, em decorrência desta doença, abster-se de todas as frutas, exceto figos e uvas, seguir uma dieta balanceada e frequentar regularmente o ginásio . Ele relatou na última parte de sua vida como, seguindo indicações recebidas de Asclépio durante dois sonhos claros, suas dores desapareceram após um novo tipo de sangramento , feito pelo corte de uma artéria entre os dedos indicador e médio. Após esta cura milagrosa, Galeno se declara um servo ( terapeuta ) de Asclépio.

No mesmo ano de 157, foi nomeado médico dos gladiadores. Nas cidades orientais do império, o sumo sacerdote ( archihierus ) era o responsável pela organização do culto imperial . Ele mantinha às suas próprias custas uma tropa de gladiadores que se enfrentavam a cada verão em combate ( munera ) durante os festivais em homenagem ao imperador. Apesar de sua tenra idade, Galeno foi incumbido da tarefa de tratar as feridas sangrentas dos gladiadores e, mais geralmente, de cuidar de sua dieta. Ele tinha que manter o maior número possível de gladiadores vivos para evitar que o sumo sacerdote tivesse que recrutar novos guerreiros. Lutar até a morte era raro.

De acordo com seus escritos, o jovem e talentoso médico fez maravilhas durante seu primeiro mandato: “Nenhum dos feridos sob meus cuidados morreu, exceto dois, enquanto dezesseis morreram sob meus predecessores. » Confrontado com feridas profundas, ele desiste de inundá-las com água quente como seus antecessores, mas umedece-as com óleo. Ele então coloca na ferida panos embebidos em vinho preto e acre. Em alguns casos, Galeno não hesita em recorrer à cirurgia e aproveita para aprofundar seus conhecimentos anatômicos. Ele não cessará de reafirmar a partir de então a necessidade de os médicos treinarem na dissecação de macacos.

A primeira estadia em Roma (162-166)

Não se sabe exatamente por que Galeno foi para o centro do Império, Roma , mas na época era comum os médicos saírem de suas cidades e fazer viagens científicas. Foi o que aconteceu com Galeno que, para construir uma rica farmacopéia , visitou muitos lugares para obter ervas, ou seja, substâncias vegetais, animais ou minerais usadas como remédios. Foi assim que visitou Chipre , Palestina , Lycia e Lemnos . Por outro lado, ele foi para Roma provavelmente para praticar medicina.

Chegando a Roma em 162, Galeno alugou uma casa perto de um de seus concidadãos, o filósofo Eudemus , que permitiria que ele fosse introduzido na mais alta sociedade romana. Ele prontamente adota o modo de vida romano, indo regularmente aos banhos com os amigos. Mas ele também mantém o hábito tipicamente grego de frequentar a palaestra para praticar ginástica. Nunca em seus escritos, ele menciona a presença de mulheres ou crianças ao seu lado. Ele mostra aversão à libertinagem e à homossexualidade. Embora reconheça que o sexo pode trazer grandes prazeres, ele considera que também pode desviar os homens de seus objetivos mais elevados.

O mundo médico era governado naquela época pela competição. A educação médica não era institucionalizada, não existia curso conducente ao diploma. Cada médico tinha que garantir sua promoção. Pacientes ricos chamavam vários médicos para ir ao seu leito e cada um tinha que fazer seu diagnóstico na presença dos outros. A competição pelos favores dos doentes era feroz; discursos finos com o objetivo de seduzir o paciente, difamação de rivais ou golpes baixos entre colegas eram frequentes. E como Galeno também tinha uma grande ideia de seu valor e não mediu as palavras quando criticava alguém, as hostilidades e os ressentimentos podiam ser terríveis. Em Prognosis , ele nos diz que o digno médico não tem escolha a não ser ir para o exílio ou se expor à calúnia por viver indefinidamente com medo de represálias.

Durante um ataque de febre do filósofo Eudemus, um nativo de Pérgamo como ele, Galeno que tomou seu pulso , fez o prognóstico de um quarto de febre . Eudemus reconhece a correção do julgamento de Galeno e se espalha em elogios na presença de figuras particularmente influentes. O nome de Galeno chegou até mesmo aos ouvidos dos dois imperadores, Lucius Verus e Marcus Aurelius .

Galeno também organizou sessões públicas de dissecação ou vivissecção onde o mestre expôs suas teorias e convidou o público a desenhar as consequências de seus experimentos. Assim Flavius ​​Boethus  (it) , figura importante que frequentava Eudemus , convidou Galeno a "dar uma demonstração sobre a voz e a respiração, explicando como e graças a que órgãos são produzidos". Flavius ​​Boethus, conta-nos Galeno, comprometeu-se a fornecer-lhe um bom número de porcos e crianças. Várias personalidades renomadas compareceram a esta primeira sessão em 163. E como a audiência era composta principalmente de retóricos e filósofos, Galeno primeiro se certificou de que eles estavam prontos para aceitar o testemunho dos sentidos. Este pré-requisito para qualquer demonstração não era supérfluo porque as doutrinas estóicas e peripatéticas estavam permeadas pelo ceticismo. E lembramos como o jovem Galeno se recusou a "afundar na dúvida pirrônica" no início de seus estudos filosóficos. Ele então mostrou como cortando alguns nervos, o animal foi privado de uma voz sem perder sua vida. Numa segunda sessão, na presença de "todos os que importavam na medicina e na filosofia", Galeno mostra como a inspiração é produzida pela dilatação do tórax e a expiração pela sua contração, cujos nervos controlam o movimento dos músculos responsáveis., Como o o ar exalado produz sons ao atingir as cartilagens da laringe .

Galeno realizou um grande número de demonstrações anatômicas no cérebro, na medula espinhal , nos nervos, na língua, na laringe,  etc. Algumas dessas sessões eram privadas, para uso de sua família e seus alunos, outras eram públicas e rendiam-lhe muitos elogios, mas também um forte ciúme por parte de seus oponentes. Ele nos conta que desistiu das manifestações públicas depois de sua primeira estada em Roma.

Essas demonstrações anatômicas são para Galeno o meio de estabelecer publicamente seu conhecimento e obter o reconhecimento de seu valor das mais altas autoridades, mas também são a ocasião para debates filosóficos sobre o estabelecimento da verdade na ciência, ambos pela observação apenas por meio do raciocínio. Discussões animadas animaram as várias escolas médicas sobre o modo de aquisição de conhecimento. Devemos confiar principalmente na razão ou na experiência Existia um método confiável Galen diz que se coloca acima das escolas. Sua formação filosófica garante sua independência de espírito e o autoriza a nunca poupar suas críticas às escolas dogmáticas, empiristas e metodistas.

Galeno nos deixou muitos escritos sobre suas descobertas anatômicas e fisiológicas. Ele usava tacógrafos , treinado na técnica de taquigrafia em grego . Assim, ele ditou a eles muitos pequenos tratados escritos para seus amigos e colegas de classe, sem guardar cópias. Durante sua primeira estada em Roma, ele também escreveu tratados de pesquisa fundamental sobre anatomia, que em sua maioria se perderam.

Em 166, Galeno deixou Roma às pressas. Seus motivos exatos não são claros porque ele deu versões diferentes em seus vários tratados. No Prognóstico , ele nos diz que é porque foi perseguido pelo ódio desses rivais. Trinta anos depois, ele disse em seus próprios livros que foi a chamada epidemia de peste “Antonina” trazida da Síria para Roma que precipitou sua partida.

Exílio voluntário em Pergamon (166-169)

De volta à Ásia, Galen passará parte de seu tempo revisando seus primeiros escritos. Ele, portanto, apresenta uma nova versão do Movimento do Pulmão e do Tórax composta entre 149 e 151, que uma pessoa inescrupulosa colocou em seu próprio nome após adicionar um prólogo a ele.

Enquanto ele "se dedica às suas ocupações habituais", ele recebe uma mensagem dos dois imperadores Marco Aurélio e Lúcio Vero, instando-o a ir procurá-los em Aquiléia . O exército que eles reuniram contra os alemães ao norte de Trieste foi devastado pela praga de Antonino . Os soldados estão morrendo às centenas. Lúcio Vero, que decidiu retornar a Roma, morre repentinamente. Marco Aurélio ordena que Galeno o siga em sua campanha contra os alemães. Mas Galeno faz de tudo para escapar dessa missão e durante um encontro com o imperador, ele conseguiu convencê-lo a deixá-lo em Roma, e ele disse "ele se permitiu ser persuadido a me deixar ir quando soube de minha boca que o deus dos meus pais, Asclépio, ordenou o contrário ”. Galeno é encarregado de cuidar da saúde do jovem Commodus , filho de Marco Aurélio.

O segundo romano fica ao lado da cama dos imperadores (169-193)

De volta a Roma, Galeno prefere manter distância de seus colegas invejosos, optando por seguir o jovem Commodus em seus vários resorts. “Como o imperador se demorou inesperadamente na guerra contra os alemães, passei todo esse tempo compondo muitas obras de filosofia e medicina que dei a meus amigos. "

O tratamento da cólica do imperador marcará uma virada na carreira de Galeno. Convidado ao palácio para tratar de Marco Aurélio, acometido de febres altas e cólicas violentas que seus médicos habituais são impotentes para tratar, Galeno toma o pulso do imperador e declara que não se trata de febre, mas de indigestão. O tratamento proposto é um sucesso total. Galeno escreve: “O imperador não parava de falar de mim, como você sabe, dizendo que eu era o primeiro entre os médicos e o único entre os filósofos. "

Galeno aproveitou esse sucesso para consolidar sua posição, obtendo o posto de confiança de preparador da terapia imperial. Theriac era uma preparação farmacêutica que continha mais de 70 ingredientes e era vista como uma panacéia. Continha ópio e carne de víbora. Marc Aurèle, que apreciou muito, tomou diariamente.

Quando Galeno voltou a Roma em 169, ele percebeu que alguns dos escritos que ditou para seus amigos ou discípulos estavam circulando sob o nome de outras pessoas. Ele então decide formatar várias obras recuperadas, escritas para iniciantes, como On Schools, On Bones, On Pulse , etc. Ele também está trabalhando na redação e finalização de três grandes somas: Utilidade das partes do corpo , Doutrinas de Hipócrates e Platão e o início das Práticas Anatômicas . Ele costumava trabalhar em várias obras ao mesmo tempo e retomar e concluir obras antigas.

Para evitar qualquer plágio, ele resolve por volta de 193 fazer uma lista de todos os seus escritos. Na Ordem de seus próprios livros e em Livros próprios , Galeno elabora um catálogo raisonné de suas obras e um guia de leitura.

Galeno divide seu tempo entre escrever seus livros e cuidar dos doentes. Os muitos estudos de caso, com os quais salpica seus escritos (como Método de Tratamento ), mostram que ele mostra grande dedicação aos enfermos, não poupando seu tempo nem seus problemas. Ele até teria mostrado coragem ao cuidar das vítimas da terrível peste Antonina que assolou a Itália de 166 a 181.

Boudon-Millot cita uma passagem de um tratado mantido apenas em árabe: “Não peço taxas de nenhum dos meus alunos ou de nenhum dos pacientes que trato. Na verdade, eu ofereço aos meus pacientes, tanto quanto eles precisam, não só remédios, bebidas, massagens e afins, mas eu até forneço enfermeiras se eles não têm empregados, e eu lhes forneço enfermeiras. Também têm o necessário comida preparada. "

Ele também continua sua atividade de ensino. Se no início de sua carreira se dirigia aos iniciantes, após seu retorno preferiu se dirigir a uma elite médica, muitas delas pertencentes ao círculo íntimo de seus amigos ( filósofos ). Ele exige de seus seguidores que sejam trabalhadores, que aspirem à verdade e, acima de tudo, espera deles "uma natureza penetrante" . Este período foi escurecido por um grande incêndio em Roma em 192, que devastou armazéns localizados ao longo da Via Sagrada . Consideradas seguras e bem protegidas, algumas dessas instalações foram usadas por Galeno para manter seus objetos de valor seguros: instrumentos, remédios, manuscritos e objetos de prata. Além de algumas dessas obras, ele depositou ali "receitas de remédios mais admiráveis ​​do que as de qualquer outra pessoa do mundo habitado dos romanos". O incêndio destruiu as preciosas obras manuscritas depositadas, ainda não transcritas em duplicado. Véronique Boudon-Millot, diretora do Laboratório de Medicina Grega, resume sua situação da seguinte maneira: “Aos sessenta e três anos, como um trabalhador incansável, Galien dedicará grande parte de sua atividade literária à reescrita de seus tratados perdidos. O período mais fecundo de sua atividade escrita, inaugurado em 169 no início de sua segunda estada em Roma, terminou em 192 com um verdadeiro cataclismo. Mas, trabalhando incansavelmente, Galeno irá, doravante, colocar todos os seus esforços para reviver sua obra das cinzas. "

Durante as horas sombrias do reinado de Commodus (180-192), Galeno, que já estava na casa dos cinquenta, foi discreto e preferiu ignorar os abusos do imperador. Ele se contenta em observar: “Naquela época, uma violenta praga se espalhou por toda a Itália e, especialmente, devastou a capital, cuja imensa população foi aumentada pela multidão de estrangeiros de todos os países. Esta praga custou a vida a um grande número de homens e animais. " . Mas por prudência, ele permanece em silêncio sobre a fome que atingiu os romanos e as revoltas que se seguiram.

Velhice e morte (193-216)

Sob o reinado de Septímio Severo de 193 a 211, Galeno recuperou sua função de preparador da teréria que havia perdido com Cômodo. Na sua velhice, ele está cada vez mais relutante em falar sobre si mesmo e até mostra um certo distanciamento dos assuntos humanos.

Não se sabe onde Galen morreu. Os documentos não permitem estabelecer se o seu fim ocorreu em Roma ou se regressou à sua terra natal, Pérgamo. Por outro lado, para a data da morte, várias fontes árabes permitiram corrigir a antiga data de 199 dada anteriormente. Ishaq ibn Hunayn , filho do famoso tradutor Hunayn ibn Ishaq , afirma que “Galeno viveu dezessete anos como criança e aluno e setenta anos como erudito e professor. " O mais provável é que ele morreu em 216 aos 86 anos.

Trabalhar

A obra de Galeno representa uma soma enciclopédica monumental. Abrange principalmente a esfera médica (anatomia, fisiologia, patologia, terapia, farmacologia e higiene), mas também filosofia, matemática, arquitetura, literatura e filologia. Apenas uma pequena parte desta obra multifacetada, composta em grego durante o reinado dos três imperadores romanos Marcus Aurelius , Commodus e Septimius Severus , sobreviveu. Véronique Boudon-Millot estima em um quarto a parcela do corpus galênico que nos foi transmitida em grego, "grandes seções tendo sobrevivido apenas na tradução árabe ou latina ou tendo desaparecido completamente". O Galen textos conhecido representa um oitavo de todos os textos gregos escritos da época de Homero e II ª  século, ser alcançado.

Este trabalho essencial da história da medicina Europeia é que ainda acessíveis em uma edição do início do XIX °  século. A edição de CG Kühn, composta de textos gregos e traduções latinas, apareceu em Leipzig entre 1821 e 1833. Abrange 150 tratados preservados e mais de 20.000 páginas. Hoje, apenas uma parte mínima é traduzida para uma linguagem moderna. Um dos últimos textos de Galeno a ser redescoberto, porém, foi na década de 2000 .

A doutrina hippocrato-dosagem que dominou o pensamento médico por mais de um milênio e meio foi a partir da XVII th  século contestada e, em seguida, relegado ao esquecimento contrário aos pensamentos médicas pré-científico da Ásia (especialmente China e Índia) que não sofreram o mesmo destino.

Anatomia

Para um ocidental, é fundamental considerar a anatomia um ramo essencial do ensino da medicina como na antropologia física, mesmo que em outras civilizações nem sempre tenha sido a mesma, principalmente na Ásia oriental.

Durante a Antiguidade greco-romana, a história da anatomia, iniciada timidamente com Hipócrates , continuou mais plenamente com Aristóteles , sofreu importantes inovações com Herófilo e a escola de Alexandria graças ao recurso à dissecação de corpos humanos. Galeno deu continuidade a esse esforço de descoberta das estruturas internas do corpo, sendo ilustrado principalmente na descrição de ossos, músculos e nervos e, em menor medida, de articulações, vasos e vísceras. Suas descobertas são baseadas em dissecações de macacos, porcos e outros animais. Junto com vários panfletos para iniciantes, ele escreveu um grande tratado sobre Práticas Anatômicas em 15  livros.

Galeno não considerava a anatomia um conhecimento teórico válido em si. Teve que ser estudado pelo médico por razões práticas, porque lhe forneceu informações sobre as atividades fisiológicas e psíquicas e mostrou que a Natureza não atuava em vão.

Galeno deu preferência à anatomia por razões práticas, fosse a redução de luxações, fraturas, cirurgia ou mesmo sangramento. “Afirmo que o médico deve saber como é cada um dos ossos em si, e como se encaixa com os outros ossos, se quiser tratar suas fraturas e suas luxações corretamente” ( Osso para iniciantes Galeno). No início de sua carreira, ele escreveu um panfleto sobre a anatomia do útero para uma parteira. Na patologia, ele defendeu uma teoria dos “lugares afetados” que atribui uma causa local a muitas doenças. O cuidado será eficaz se chegar ao ponto preciso da origem da doença e não àqueles afetados pela simpatia.

A anatomia também aparece para Galeno como um meio de acesso à compreensão dos processos fisiológicos. Assim, quando ele dá uma descrição precisa dos quatro ventrículos do cérebro, um leitor moderno fica muito surpreso ao descobrir que ele atribui mais importância a eles do que à substância neural. A interpretação das estruturas anatómicas que propõe depende dos modelos teóricos (em princípio hipotéticos) que lhe estão habituados para compreender o funcionamento da alma e do corpo. Embora se recuse a comentar sobre a alma, que considera incognoscível por meio da investigação fisiológica, ele busca saber onde está localizada a alma hegemônica, responsável pela sensação e pelo movimento. Desde Herophilus , os médicos estabeleceram gradualmente que a seção de certos nervos indicava que a sede das sensações e comandos motores estão no cérebro. Para explorar esse problema em detalhes, ele se coloca dentro da estrutura geral da teoria do pneuma , uma espécie de ar vital que circula por todo o corpo e cujos diferentes tipos desempenham papéis importantes em suas explicações dos processos fisiológicos. Um desses pneuma, denominado pneuma psíquico ( psychikon ), está localizado no cérebro, e mais precisamente nas cavidades cerebrais, devido à sua natureza vaporosa (mas, ainda assim, material). Podemos admirar como Galeno consegue conciliar a ideia de que a substância da alma é incognoscível com a ideia de que ela tem um suporte material observável que só se relaciona com a medicina. Assim, com ele, os pressupostos sobre a natureza da alma partem das vivências de lesões e compressões dos ventrículos cerebrais.

No XVI th  século, Vesalius encontra erros nas descrições de Galeno e entende que elas se aplicam ao homem macaco e não. Como a dissecção de corpos humanos era proibida na Roma antiga, Galeno dissecou macacos magos em seu lugar e transferiu o modelo animal para os humanos. Vesalius começa a escrever um tratado de anatomia, De humani corporis fabrica libri septem (A Estrutura do Corpo Humano), destinado a corrigir mais de duzentos erros de Galeno. Por exemplo, ele descreve pela primeira vez a veia ázigos, prova que a mandíbula em humanos é composta por um osso, não dois, que o fígado humano não é feito de quatro ou cinco lobos, como afirmava Galeno.

Física médica

O pensamento físico de Galeno é baseado em uma teoria da constituição da matéria herdada dos maiores pensadores da Grécia antiga. O corpo, como toda matéria, é composto por quatro elementos (fogo, ar, terra, água) em maior ou menor proporção, o que explica a qualidade mais ou menos dominante do corpo ( quatro qualidades elementares  : quente, frio, úmido, seco ) Galeno especifica que sob este termo de elemento ( stoicheia ), não é uma questão, do elemento em si (o "fogo") nem da qualidade pura (o "quente"), mas daquilo que é dominante em um determinado corpo. Nos corpos, os elementos ou qualidades sempre aparecem misturados ( crase κρᾶσις ).

Galeno também retoma a tradição hipocrática de considerar o corpo uma "caixa preta" na qual ocorrem processos fisiopatológicos que os médicos tentam modelar a partir apenas do conhecimento dos materiais que entram nele (ar inspirado, comida e bebida) e que saem. (fezes, urina, suor, sangue de feridas, secreções nasais, vômito). A partir da observação cuidadosa do aparecimento de várias excreções produzidas em várias circunstâncias, os médicos inferem a existência de quatro humores ( sangue , bile amarela , bile negra e catarro ) circulando no corpo. Os fluxos entrelaçados dessas substâncias concretas permitem explicar por causas naturais cada doença, resultante do excesso ou da insuficiência de uma delas. O estado de saúde depende da combinação certa ( eucrasia ) e da proporção certa de qualidades e, correlativamente, o estado de doença resulta de uma mistura ruim ( discrasia ). Com Galien, a teoria humoral só desempenha realmente um papel na patologia , ao passo que ocupará um lugar central no galenismo tardio.

Fisiologia

A grande soma de Galeno sobre "as funções e a utilidade das partes observadas durante a dissecção" é intitulada Utilidade das partes , à qual se somam vários trabalhos sobre as Causas da respiração ou sobre os Movimentos dos músculos , as faculdades naturais . , etc.

Durante as sessões de demonstração anatômica, Galeno sabia como usar a dissecção para estabelecer estruturas anatômicas aos olhos do público, mas também poderia recorrer à vivissecção animal para determinar "por quais faculdades as operações [sc. movimento, repouso, crescimento e nutrição] são produzidos ”. Seus predecessores já haviam feito vários experimentos, mas ele sabia como levar sua perícia muito longe para descobrir as estruturas e funções de todas as partes do corpo. O exercício nem sempre foi fácil, pois se se pode observar diretamente o efeito da secção do nervo óptico sobre a visão ou de um nervo motor sobre o movimento, fica menos fácil entender a função do fígado e até mesmo do coração. . Também houve nenhuma palavra em grego antigo para designar o conceito de "função" como é entendida a partir da XVII th  século. Galeno utilizou o conceito de ação ( energeia , ἐνωνγεια ), retirado da filosofia. Assim, o alimento é transformado em sangue pela ação de órgãos específicos.

Depois de encontrar a ação, Galeno se pergunta a respeito da causa  : o que é responsável pela ação A causa final ( telos , τέλος ) de Aristóteles está contida na noção atual de função. A formação do sangue é explicada pela faculdade sanguinolenta que existe nas veias, a transformação da comida pela faculdade coctiva ( pepsis ) do estômago e as pulsações pela faculdade esfigmica (pulsante) do coração. A relação entre estrutura e função é baseada em uma filosofia profundamente teleológica da Natureza, segundo a qual a constituição dos órgãos é perfeitamente adaptada à sua atividade. Todas as partes do corpo têm a melhor utilidade possível. Presidindo esses fins está o Criador ou o Demiurgo , visto como um deus benevolente e providencial. Nesse ponto, Galeno se viu em completa oposição a um médico como Erasístrato ou aos atomistas que recusavam qualquer explicação teleológica.

Vários princípios organizacionais importantes governam a fisiologia de Galeno. Um deles, apresentado em Sobre as Doutrinas de Hipócrates e Platão (DHP), é o dos três centros psíquicos (ou três almas) emprestado do Timeu de Platão . O cérebro que desenvolve o pneuma psíquico ( πνεῦμα ψυχικόν ) é a fonte dos nervos sensoriais e motores, o coração que desenvolve o pneuma vital ( πνεῦμα ζωτικόν ) é a fonte das artérias, do calor inato e da faculdade esfigmática, finalmente o fígado, que contém o pneuma natural, é a fonte de veias, sangue e nutrição.

Tripartição da alma (de acordo com DHP )
Centro Parte da alma Fonte de Atividade
Cérebro
  • pneuma psíquico
  • psiquiatra
nervos sensoriais e motores racionalidade
Coração
  • pneuma vital
  • zotikon
  • artérias
  • fonte de calor inato e faculdade esfigmática
emoção
Fígado
  • pneuma natural
  • Physikon
  • veias
  • fonte de sangue e nutrientes
desejo

Cada parte da alma é o princípio ou fonte ( archai ) das atividades fisiológicas e psíquicas. Da mesma forma, ele pensa, a faculdade de direção é transmitida do cérebro através dos nervos para os músculos, então a faculdade pulsante é transmitida às artérias através do coração e a faculdade nutritiva é transmitida às veias pelo fígado.

Este padrão de transmissão de um fluxo de uma fonte e irrigação do resto do corpo poderia ser estabelecido experimentalmente tentando interrompê-lo. Foi o que Galeno fez em sua famosa demonstração anatômica na presença de Flávio Boécio, onde a secção de certos nervos interrompia o trajeto e a respiração do animal. Da mesma forma, a interrupção da transmissão da faculdade pulsante que se propaga do coração poderia, em seus olhos, ser comprovada por um experimento já realizado por Erasístrato , que consistia em introduzir um tubo na artéria femoral. A pulsação das artérias decorria de uma capacidade atrativa transmitida pelas túnicas arteriais. Para a última faculdade transmitida, Galeno admite honestamente que não poderia estabelecê-la por um experimento "no caso do fígado, não podemos fazer tal demonstração, seja expondo-o e aplicando pressão ou ligando as veias" ( DHP V, 520).

Galeno usa esse modelo de transmissão (assim como o do calor inato) para tentar entender diferentes processos como digestão, respiração ou reprodução.

Para ele, existem dois tipos de sangue: sangue venoso e sangue arterial. O sangue venoso, constantemente renovado pelo alimento absorvido, nutre todo o corpo desde o fígado e o coração. A função do sangue arterial é distribuir o calor vital do coração (mais precisamente do ventrículo esquerdo), onde se misturou com o pneuma fornecido pela “artéria venosa” (a veia pulmonar).

Galeno fez muitas pesquisas sobre o sistema nervoso e, em particular, os nervos cranianos . Seu conhecimento das funções da medula espinhal não foi superada até o início do XIX °  século. As páginas que ele nos deixou sobre a localização de traumas na medula espinhal e nos nervos, levando à paralisia desta ou daquela parte do corpo, estão entre as mais famosas da literatura médica.

Finalmente, Galeno produziu escritos sobre a formação do embrião e do feto . Ele está interessado em vários trabalhos como Sobre o sêmen , Sobre a formação do feto e Sobre a utilidade das partes . Ele acredita que o fígado é o primeiro órgão a se formar, seguido pelo coração e pelo cérebro. Ele também defende a ideia de um Criador porque segundo ele a semente é perfeita. Em particular, ele expõe a existência de uma semente masculina e uma semente feminina. Ele procura estabelecer por observação e dissecção, que o útero agarra o sêmen masculino e emite um sêmen feminino que se une ao masculino. O primeiro é responsável pela formação da membrana que envolve o embrião, e o segundo pela alantóide . Ele então se opôs a Aristóteles , que acreditava que o sangue da época gerava o embrião . Galeno defende a importância do esperma, na verdade, segundo ele, graças a ele se formam sangue e nervos. Ele freqüentemente compara a formação do feto animal à do embrião da planta, por exemplo, usando a palavra semente para denotar o esperma, ou a palavra "galho" para denotar os braços articulados do feto.

Galeno realizou numerosas dissecações e pôde observar o embrião na cabra, entre outros. No entanto, ele encontrou dificuldades em estudar os primeiros estágios do embrião. No entanto, ele consegue distinguir três ou quatro fases do desenvolvimento do embrião, e cada vez Galeno retoma e confirma o ensino de Hipócrates.

Patologia e terapia

Galeno escreveu vários livros sobre doenças e seus sintomas. No final da vida, ele reúne todo o seu conhecimento nos Locais Afetados .

Galen acredita que você precisa saber fisiologia para entender qualquer condição patológica. Ele insiste no caráter universal da teoria médica que, no entanto, deve sempre se aplicar praticamente a casos individuais particulares.

Ele procura, pelo raciocínio, voltar às causas. Ele sempre se interessou por análise causal e escreveu vários tratados sobre o assunto. Para ele, existem dois tipos de causas: quebras de continuidade e discrasias. Rupturas são lesões ou doenças como úlceras que destroem a pele. As discrasias resultam de um desequilíbrio das quatro qualidades nos tecidos, no pneuma ou no calor inato. A doença resulta de danos às funções, com a consequência de que os atos naturais do organismo são mal ou não realizados.

Quando a doença é decorrente de um desequilíbrio entre frio, calor, secura ou umidade, o tratamento é feito atuando no sentido contrário da causa. Um distúrbio resultante de um estado de resfriamento deve ser tratado por aquecimento, o excesso de umidade por secagem, etc. Galeno recorre aos mesmos tipos de explicações para a alma e seus afetos. Mas ele sempre sabe como adaptar as regras gerais da terapia às condições particulares de seu paciente. O médico deve levar em consideração sua idade, sexo, constituição, estilo de vida, fatores ambientais, etc.

Os dois principais indicadores de diagnóstico de Galeno são o estado da urina e do pulso do paciente. Também utilizou outros indicadores conforme necessário, como exame de fezes, vômitos ou levou em consideração a diferença entre homens e mulheres ou a influência do ambiente. Da observação das entidades, pode-se legitimamente inferir coisas inobserváveis, pensava ele como Anaxágoras , Demócrito ou o doutor Diocles .

Basicamente, o médico possui três métodos de terapia: dieta, farmacologia e cirurgia.

O sistema de governo

O regime era uma grande preocupação para Hipócrates . Permitiu preservar a saúde e prevenir doenças. Na tradição de Hipócrates, Galeno em seu grande tratado sobre Higiene (e em vários outros tratados), entende por dieta (ou dietética) tudo o que diz respeito não apenas à comida e bebida, mas também ao tempo gasto acordado e dormindo., Exercícios, descanso, atividade sexual, banhos e massagens, o que hoje chamaríamos de estilo de vida saudável. Dependendo do caso, ele prescreverá ao seu paciente um emagrecimento ou fortalecimento, ressecamento ou umidificação, aquecimento ou resfriamento, evacuação em caso de abundância de humores ou mesmo dieta restauradora.

Farmacologia

Quando a dieta não bastava, o médico grego recorreu a remédios. Galeno, com o espírito metódico que o caracteriza, contribuiu para fundamentar claramente a farmacologia, apoiando-se na teoria ( logos ) e na experiência ( empeiria ). Ele dedicou cerca de 3.500 páginas a este campo da arte médica em que se destacou particularmente. Sua contribuição foi tão significativa que seu nome é mais honrado pelos farmacêuticos do que pelos médicos. Como Dioscórides no século anterior, Galeno reuniu os principais conhecimentos de sua época, que complementou com a experiência pessoal.

O qualificador de "galênico" aplicado à medicina e à farmácia, teria aparecido em francês quase um milênio e meio depois (em 1581 da pena de Nicolas de Nancel ). Quando o progresso da análise química permitiu a partir da XVII th  século para mover a partir do campo da medicina para a substância activa (digitalis digital), o farmacêutico e químico Nicolas Lemery , em oposição aos produtos farmacêuticos feitas preparações substâncias naturais (cuja composição química é desconhecida) em a farmácia química usando os ingredientes ativos conhecidos e testados das substâncias.

O termo farmacologia não existia na época de Galeno. Esta é uma criação terminologia da European Science XVIII th  século. No grego antigo , o termo pharmaka significava "remédio, droga" (benéfico ou tóxico) e o pharmakopôlês , φαρμακοπώλης , "vendedor de drogas", era um pequeno comerciante viajante. O fitoterapeuta era o rizotomos , ῥιζοτόμος “cortador de raízes” (colhedor de plantas). Em várias ocasiões, Galeno cita receitas de medicamentos que ele reconhece como eficazes, desenvolvidas por rizótomos ou farmacopoles. Mas tem se beneficiado especialmente do trabalho magistral de síntese de Dioscorides sobre remédios naturais: Peri hulês iatrikês ( Περὶ ὕλης ἰατρικῆς ), “Sobre o assunto médico”, reunindo mais de 800 arquivos descritivos precisos. A obra escrita em grego é mais conhecida pelo nome latino de De Materia Medica . Galeno acolheu as descrições das drogas fornecidas por Dioscórides, mas culpou a parte puramente médica de suas notificações.

Qualidades do elemento
quente frio
seco incêndio terra
úmido ar agua

Para Galeno, a atividade de uma droga vem de seu poder inato, o que Aristóteles chamou de potencialidades , dunameis . Portanto, um pharmakon quente aquecerá o corpo e será adequado para doenças resultantes de muito frio. Tanto para Galeno como para Aristóteles, as qualidades são classificadas como ativas (quente e frio) ou passivas (secas e úmidas) e cada substância é uma mistura ( krasis ) de uma qualidade ativa e passiva (como quente-seca). A qualidade de um medicamento só pode ser determinada por seu efeito no organismo. A pimenta, embora fria ao toque, é quente ao paladar ou aquece o corpo. Além disso, as qualidades de uma droga são avaliadas em uma escala de intensidade: fraca, clara, forte, poderosa.

Galeno distingue entre remédios simples , como os que a natureza os oferece em estado bruto, e remédios compostos , resultantes da reunião de vários remédios simples.

Em Sobre os poderes [e misturas] das drogas simples , Galeno discute a aplicação da teoria dos quatro humores à farmacologia. Os livros VI-XI fornecem um grande catálogo de medicamentos, consistindo em plantas, terra, minerais, metallica pharmaka e produtos animais. Ele lista 440 plantas e 250 outras substâncias medicinais, cada uma com uma descrição de como obtê-las, armazená-las e usá-las. Por outro lado, fornece apenas uma indicação de sua intensidade para um terço deles.

Em duas outras obras, Galien oferece uma compilação comentada de receitas recebidas dos mais velhos. Finalmente, ele escreveu livros sobre antídotos e terapia . Apresenta a lista dos 42 ingredientes que compõem a terapia. Ele reconhece que sua teoria da atividade das drogas só se aplica bem a drogas simples. Ao avaliar o poder dos medicamentos compostos, ele invoca a tradição, sua experiência pessoal e / ou as qualidades dos simples que os compõem. "Muitas vezes foi mostrado a você que alguns remédios são encontrados apenas pela razão [ logos ], outros pela experiência [ peira ] sem o uso da razão, e outros exigem o uso de ambos."

Galeno propôs uma primeira tentativa de um sistema explicativo teórico para a atividade dos remédios que seja consistente com sua fisiologia, patologia e terapia. Embora essa construção teórica tenha deficiências internas (das quais ele bem sabe), deve-se reconhecer que ela constitui uma bela tentativa de fundamentação da farmacologia que vai muito além das descrições dos simples dados fornecidos por Dioscorides. Mesmo que desenvolvimentos subsequentes na ciência mostrem que essa modelagem está completamente errada, a abordagem ilustra perfeitamente uma das fortes características da ciência grega: o desejo de compreender e explicar o que observamos. Associada à rejeição de qualquer dogmatismo, é esta metodologia que desde o Renascimento permitirá o surgimento da ciência moderna. Mas entender a matéria viva primeiro exigiu um progresso significativo na compreensão da química do resto da natureza.

Cirurgia

Galeno é conhecido por ter dado um lugar de destaque à sangria em seu arsenal terapêutico. Ele dedicou quatro tratados a este assunto, incluindo um Tratamento por sangramento ( De curandi ratione per venae sectionem ).

A sangria foi praticada na Grécia desde o tempo de Hipócrates , a V ª  século  aC. AD , sem saber exatamente se era uma prática comum. Mais tarde, o médico de Alexandria , Erasístrato (320; 250 aC ), se opôs ao uso da sangria no tratamento de distúrbios causados ​​por pletora (responsáveis ​​por problemas digestivos e outros distúrbios). Ele aconselhou, em vez disso, recorrer a uma dieta leve e um pouco de ginástica.

Quatro séculos e meio depois, Galeno atacou com bastante vigor em vários panfletos a Erasístrato e depois aos Erasístratos de Roma. Galeno e Erasístrato concordam em considerar que as febres se originam de uma infinidade de estados de ânimo, mas discordam quanto aos tratamentos. Quando Erasístrato recomenda um jejum de três dias que corre o risco de matar o paciente ao mesmo tempo que a doença, Galeno prefere a sangria por incisão de uma veia (flebotomia), possivelmente até desmaiar. No entanto, ele defende a moderação porque, como ele diz, "Eu realmente vi dois homens morrerem nas próprias mãos dos médicos: eles desmaiaram, mas não voltaram a si". A intervenção deve, portanto, ser modulada de acordo com a condição do paciente, idade, tipo de doença, etc.
O princípio que regia o sangramento era a necessidade de evacuar um excesso ( plêthos , uma pletora) de sangue ou uma substância do corpo para restaurar o equilíbrio natural. Outro tipo de sangria, chamada de repulsiva, propunha desviar o sangue para partes opostas onde se encontrava em excesso.

Galeno realizou uma série de pequenas operações: para erradicar um "tumor não natural", para remover pedras na bexiga, para operar varizes e assim por diante. Sua experiência como médico de gladiadores o levou a desenfiar e suturar feridas, extrair pontas de flechas, mas também amputar serras.

Ele disse que frequentemente reduzia luxações e fraturas, usava todos os tipos de bandagens e talas. Ele realizou operações arriscadas, como perfurar o crânio com trefinas ou brocas, ou operações delicadas, como baixar a catarata , remover a úvula ou pólipos no nariz.

Posteridade do pensamento médico de Galeno

Após a divisão do Império Romano no IV th  século, o Império Romano do Ocidente desaparece rapidamente e com ela a medicina aprendeu enquanto o Império Romano do Oriente (ou Império Bizantino ) e ainda mantém o património cultural e científico greco-romana. Os corpus dosagem continuar a autoridade para médicos de Constantinopla e Alexandria e será tratado durante a Idade de Ouro islâmica ao X th  -  XI th  séculos. Este galenismo revistos e sintetizada por Rhazes e Avicena retorno na Europa Ocidental através de traduções do árabe para o latim no XI th  -  XII th  séculos. Ao entrar na universidade, o ensino do sistema médico de Galeno foi confrontado com o aristotelismo e perdeu-se em tortuosos problemas escolásticos.

Os homens da Renascença inauguraram um ponto de inflexão na história da medicina. Voltando às fontes textuais da Grécia antiga, eles colocaram a anatomia e a dissecação de volta na base da medicina. Então, os médicos descobrem aos poucos que é possível testar empiricamente hipóteses sobre processos fisiológicos, montando experimentos em seres vivos. Após a descoberta da circulação do sangue no XVII th  século XVIII th  Century instalar fisiologia experimental no coração da medicina. Os últimos fiéis do galenismo tiveram que se curvar ao poder explicativo dos sistemas cardiovascular, respiratório, digestivo, endócrino e neuronal da medicina moderna, fundados em robustas bases empíricas. A medicina greco-romana foi completamente varrida da prática médica ocidental e nem mesmo subsistia como "medicina tradicional europeia", ao contrário dos medicamentos tradicionais chineses e indianos , que mais sobreviveram à erupção da medicina moderna trazida para a Ásia pelos ocidentais e coabitam com ela hoje. Paradoxalmente, a medicina greco-árabe que foi importado para a Índia pelos muçulmanos, sobreviveu lá até os tempos modernos sob o nome de Yunani medicina (Yunani originalmente significa "grega", ou, mais exatamente "Jónico", do sânscrito yavana ).

Notas

  1. Esta biografia é baseada principalmente na obra de Véronique Boudon-Millot, Galien de Pergame (Les Belles Lettres, 2012), baseada nos muitos tratados de Galeno, disponíveis em grego e latim na edição de CG Kühn (Leipzig 1821-1833), principalmente não traduzido para uma linguagem moderna
  2. De acordo com a Suda , uma enciclopédia grega IX th  século. Várias inscrições encontradas em Pergamon mencionam os arquitetos de Nicon, mas para Véronique Boudon-Millot nenhum elemento permite identificar o pai de Galien a um deles.
  3. Depois que parte de seus manuscritos e medicamentos foram queimados em 192 em Roma, ele escreveu a tradução de Ne pas se chagriner ( De indolentia ) de Boudon-Millot e Jacques Jouanna , CUF 2010.
  4. Diagnóstico e tratamento das paixões e erros da alma Galien, tradução de Véronique Boudon-Millot
  5. Sucos bons e ruins de alimentos compostos em torno de 180, cf. Boudon-Millot
  6. Sobre o tratamento por sangria composta após 193, cf. Boudon-Millot
  7. Como reconhecer o melhor médico , 4, Galeno, cf. Boudon-Millot.
  8. Prognóstico 2, Galien
  9. Livros próprios Galen III, 5-6, cf. Boudon-Millet.
  10. Prognóstico 9, Galeno, cf. Boudon-Millet.
  11. Método terapêutico em Glauco I, 1, Galien, cf. Boudon-Millet.
  12. Περὶ τῆς Τάξεως τῶν Ἰδιων Βιβλίων / Peri tês taxôs tôn idiôn bibliôn
  13. Περὶ τῶν Ἰδίων / Peri tôn idiôn
  14. Não se aborreça 31, Galeno, cf. Boudon-Millot.
  15. Prognóstico pelas polícias , III 4, Galeno, cf. Boudon-Millot.
  16. Kühn II, 215-731; há uma tradução em italiano e espanhol, mas não em francês
  17. Ossos para iniciantes Ia Galen, Kühn II 732, cf. Boudon-Millot.
  18. Galeno, Sobre as doutrinas de Hipócrates e Platão , Περὶ τῶν Ἱπποκράτους καὶ Πλάτωνος δογμάτων De Lacy.
  19. Para Hipócrates, o pneuma é o ar que entra no corpo por meio da respiração e da alimentação; no corpo, ele se transforma em pneuma psíquico no cérebro
  20. Administrações anatômicas IX, Galeno.
  21. τὸ πῦρ , para pyr o fogo, ὁ ἀήρ , o aer o ar, τὸ ὓδωρ para hudôr a água, ἡ γῆ , ê gê a terra.
  22. Faculdades naturais , I, 2, Galeno, cf. Boudon-Millot
  23. No XVII th  século na dosagem medicina, pneuma resultado em mente e fala-se de espírito animais gerados no cérebro, espírito vital engendrado no coração e na mente naturalmente produzida no fígado ( Furetière , Dicionário Universal )
  24. Faculdades de medicina simples (De simplicium medicamentorum temperamentis ac facultatibus libri ), XI, Kühn XI, não traduzido
  25. Medicamentos compostos por localização e Medicamentos compostos por gênero
  26. Em compostos e em antídotos
  27. Nos compostos VI 7, XIII 886.
  28. Método terapêutico IX 10, Galeno, cf. Boudon-Millot.
  29. Método terapêutico XIV, 17, Galien, cf Boudon-Millot

Referências

  1. S. Alexandru, "Newly Discovered Witnesses Asserting Galen's Affiliation to the gens Claudia", Annali della Scuola Normale Superiore di Pisa , série 5, 3/2, 2011, p.  385-433
  2. Véronique boudon-Millot, Galien de Pérgamo , Les Belles Lettres,, 404  p..
  3. "Galien" , em Jacques Brunschwig , Geoffrey Lloyd, Le Savoir grec , Flammarion,, p.  677-687.
  4. Galeno, Comentário sobre o Tratado de Hipócrates sobre Humores , = Kühn, XVI, 80-81
  5. Danielle Gourevich, "Caminhos para Conhecimento: Medicina no Mundo Romano" , em Mirko. D. Grmek (direção), História do pensamento médico no Ocidente, Antiguidade e Idade Média , Limiar,
  6. Armelle Debru, O corpo que respira pensamento fisiológico em Galien , EJ Brill,.
  7. (em) S. Alexandru, Comentários críticos sobre os códices in qui Galen aparece como um membro do povo Claudia  " , Mnemosyne ,, p.  553-597
  8. Dicionário de abreviações latinas e francesas usadas em inscrições lapidares e metálicas, manuscritos e cartas da Idade Média, Chassant Alphonse, 1808-1907  " , em https://archive.org (acessado em 21 de outubro de 2018 )
  9. (em) LI Conrad, Sr. Neve, Nutton V. R. Potter, A. Wear, The Western Medical Tradition 800 AC a DC 1800 , Cambridge University Press, 1995 2011.
  10. (em) RJ Hankinson " , cap. 1: O homem e sua obra ” , em RJ Hankinson, The Cambridge Companion to GALEN , Cambridge University Press,.
  11. Galeno, "Que o excelente médico é também um filósofo" , em Galeno, Obras, Volume I: Introdução geral, Por ordem de seus próprios livros - Sobre seus próprios livros - Que o excelente médico também é um filósofo , Les Belles Letters ,.
  12. Galien ( transl.  Jacques Boulogne), método de tratamento , ensaios Folio, Gallimard,.
  13. Galien ( trad.  Véronique Boudon-Millot), introdução geral. Na ordem de seus próprios livros, Em seus próprios livros, Que o excelente médico também é um filósofo , Les Belles Lettres,.
  14. Catherine Virlouvet ( eds. ), Nicolas Tran e Patrice Faure, Roma, cidade universalmente: De César para Caracalla 70 BC-212 abril J.-C , Paris, Éditions Belin , col.  "Mundos Antigos",, 880  p. ( ISBN  978-2-7011-6496-0 , apresentação online ) , cap.  5 ("O equilíbrio precário da" Idade de Ouro de Antonino ""), p.  338.
  15. Biblioteca digital Medic
  16. Olivier Lafont, Glorified Galen, Contested Galen ... , Pharmathemas,
  17. (in) Shigehisa Kuriyama, A expressividade do corpo e a divergência da medicina grega e chinesa , zona dos livros, 340  p..
  18. Jean Beaujeu , "Capítulo V: Medicina (. P 384)" , em René Taton, volume I: Antigo e ciência medieval , Paris, PUF,.
  19. (em) Julius Rocca, "cap. 9: Anatomy ” , em RJ Hankinson, The Cambridge Companion to GALEN , Cambridge University Press,.
  20. (em) Heinrich von Staden, Herophilus The Art of Medicine in Early Alexandria , Cambridge University Press,( leia online )
  21. Armelle Debru, The Breathing Body: The Physiological Thought in Galen , Studies in Ancient Medicine, Brill,.
  22. Mario Vegetti, “Entre o conhecimento e a prática: a medicina helenística” , in Mirko D. Grmek, História do pensamento médico no Ocidente 1, Antiguidade e Idade Média , Limiar,
  23. Hipócrates (tradução de É. Littré), Do homem da natureza: ΠΕΡΙ ΦΥΣΙΟΣ ΑΝΘΡΩΠΟΥ , em JB Baillère,( leia online )
  24. Armelle Debru, “cap. 10 Physiology ” , em RJ Hankinson (ed.), The Cambridge Companion to GALEN , Cambridge University Press,.
  25. Trabalhos anatômicos, fisiológicos e médicos por Galien Daremberg .
  26. Galen (texto compilado por Caroline Petit), o Doutor. Introdução , Les Belles Lettres,.
  27. “  A anátomo-fisiologia da geração em Galien  ” , em http://www.bium.univ-paris5.fr
  28. Enciclopédia, ou dicionário baseado em ciências, artes e ofícios , Diderot e d'Alembert , p.  227.
  29. (em) Philip J. van der Ejk, “cap. 11 Therapeutics ” , em RJ Hankinson, The Cambridge Companion to GALEN , Cambridge University Press,.
  30. Véronique Preat (dir.), História da farmácia galênica: A arte de preparar medicamentos de Galeno até os dias atuais , Editora Universitária de Louvain,.
  31. em 1738 cnrtl etymo
  32. Guy Ducourthial , "  Dioscoride Nas origens da matéria médica  ", The review of the prater , vol.  55,, p.  689-693.
  33. (em) Sabine Vogt, "cap. 12 Drogas e farmacologia ” , em RJ Hankinson, The Cambridge companion to GALEN , Cambridge University Press,.
  34. Roger Dachez, História da medicina desde a antiguidade até o XX th  século , Tallandier,, 635  p..
  35. Rémi Cadet, A invenção da fisiologia, 100 experimentos históricos , Belin, Para a ciência,, 240  p..
  36. Guy Mazars, medicina indiana , PUF, Que sais-je,.

Bibliografia

Edição grega

Trabalhos publicados

  • Tratados filosóficos e lógicos , trad. Pierre Pellegrin, Garnier-Flammarion, 1998, 308 p.  5 tratados: seitas para iniciantes , esboço empírico , experiência médica , falácias verbais , instituição lógica .
  • A Alma e suas paixões. As paixões e os erros da alma. As faculdades da alma seguem os temperamentos do corpo , Belles Lettres, trad. V. Barras, T. Birchier e A.-F. Morand, 1995, LVIII-158 pág.  2 tratados.
  • Galien , Les Belles Lettres, "Coleção de universidades na França", Paris.
    • t. I: Introdução geral na ordem de seus próprios livros , Em seus próprios livros , trad. V. Boudon-Millot, 2007, CCXXXVIII-402 p.
    • t. II: Exortação ao Estudo da Medicina , Arte Médica , trad. Véronique Boudon, 2000, 464 p.
    • t. III: O médico , Introdução , trad. C. Petit, 2009, CXL-488 p.
    • t. IV: Não se aflija , trad. V. Boudon-Millot e J. Jouanna, 2010, LXXX-320 p.
    • t. V: Sobre as faculdades de alimentação , ed. e trad. por John Wilkins, 2013, XLIV-260 p.
    • t. VI: Theriac at Pison , ed. e trad. V. Boudon-Millot, 2016, CCXLIV-672 p.
    • t. VII: Ossos para iniciantes , Anatomia dos músculos , trad. I. Garofalo e A. Debru, 2005, XII-350 p.
    • t. VIII: A anatomia dos nervos , A anatomia das veias e artérias , trad. I. Garofalo e A. Debru, 2008, 224 p.

Obras de Galeno traduzidas por Charles Daremberg

Obras do Pseudo-Galeno

83 tratados são atribuídos a Galeno, dos quais 45 são apócrifos, entre os quais:

  • Definições médicas
  • História dos Filósofos (De historia philosophica) , em H. Diels, Doxographi Graeci .
  • Humores [2]
  • Introdução médica ( Introductio sive medicus )
  • O livro da teréria, ou Livro dos antídotos (Kitâb al-Diryâq) Mesopotâmia, 1199) [3]
  • Predições da ciência matemática (astrologia médica)
  • Se o que está no útero está vivo

Talvez o Ars medica [4]

Estudos sobre Galeno

  • Jacques Jouanna , "  Medicina racional e magia: o status dos amuletos e encantamentos em Galien  ", Revue des Études Grecques , t.  124, n o  1,, p.  47-77 ( ler online )
  • Boudon-Millot Véronique et al., Galien e filosofia , Droz, 2003.
  • Boudon-Millot Véronique, Galien de Pergamon: Um médico grego em Roma , Paris, Les Belles Lettres, ( ISBN  2-251-38117-1 ) .
  • Debru Armelle: O corpo respirável. Pensamento fisiológico em Galien , Brill, 1996.
  • Paul Moraux , Galen de Pergamon. Memórias de um médico , ed. Belles Lettres, col. “Ancient Greek Studies”, Paris, 1985 (ASIN 2251326278) .
  • A. Verbanck-Plérard, V. Boudon-Millot, D. Gourevitch (eds.), Au temps de Galien. Um médico grego no Império Romano , Somogy, 2018. Catálogo da exposição realizada de 26 de maio a 2 de dezembro de 2018 no Museu Real de Mariemont (Bélgica).
  • Nutton Vivian, Ancient medicine (cap. 15, The life and career of Galien), Paris ed. Les Belles Lettres, 2016, ( ISBN  978-2-251-38135-0 )
  • Daniel Béguin, “  O problema do conhecimento na De Optima doctrina de Galeno  ”, Revue des études grecques , t.  108,, p.  107-127 ( ler online )

Veja também

Artigos relacionados

links externos


Esperamos que as informações que coletamos sobre Claude Galien tenham sido úteis para você. Se for o caso, não se esqueça de nos recomendar a seus amigos e familiares, e lembre-se que você pode sempre nos contatar se precisar de nós. Se, apesar de nossos melhores esforços, você acha que o que fornecemos sobre _título não é totalmente exato ou que devemos acrescentar ou corrigir algo, ficaríamos gratos se você nos avisasse. Fornecer as melhores e mais completas informações sobre Claude Galien e qualquer outro assunto é a essência deste website; somos movidos pelo mesmo espírito que inspirou os criadores do Projeto Enciclopédia, e por esta razão esperamos que o que você encontrou sobre Claude Galien neste website o tenha ajudado a expandir seu conhecimento.

Opiniones de nuestros usuarios

Bianca Antunes

As informações sobre Claude Galien são muito interessantes e confiáveis, como o resto dos artigos que li até agora, que já são muitos, pois estou esperando meu encontro no Tinder há quase uma hora e ele não aparece, então isso me dá que me levantou. Aproveito para deixar algumas estrelas para a empresa e cagar na porra da minha vida.

Fabiana Ramos

Não sei como cheguei a este artigo Claude Galien, mas gostei muito.

Domingos Nunes

Finalmente! Hoje em dia parece que se eles não escrevem artigos de dez mil palavras eles não estão felizes. Senhores redatores de conteúdo, este SIM é um bom artigo sobre Claude Galien.