Claudius Ptolemy



As informações que conseguimos compilar sobre Claudius Ptolemy foram cuidadosamente revisadas e estruturadas para torná-las tão úteis quanto possível. Você provavelmente veio aqui para saber mais sobre Claudius Ptolemy. Na Internet, é fácil se perder na confusão de sites que falam sobre Claudius Ptolemy e ainda não fornecem o que você quer saber sobre Claudius Ptolemy. Esperamos que nos informe nos comentários se você gostar do que leu sobre Claudius Ptolemy abaixo. Se as informações sobre Claudius Ptolemy que fornecemos não são as que você estava procurando, por favor nos informe para que possamos melhorar este site diariamente.

.

Claudius Ptolemy
Imagem na Infobox.
Ptolomeu depois de uma gravura alemão do XVI th  século.
Biografia
Aniversário
Morte
Por volta de 168
Canopus , província romana do Egito (atual Egito)
Nome na língua nativa
Κλαύδιος Πτολεμαῖος
Tempo
Nacionalidade
Provavelmente romano
Casa
Atividades
Pessoas
Outra informação
Trabalhou para
Áreas
Influenciado por
Pronúncia
Trabalhos primários

Cláudio Ptolomeu (em grego antigo Κλαύδιος Πτολεμαῖος Claudios Ptolemaios em Latina Cláudio Ptolomeu ), comumente conhecido como Ptolomeu (Ptolemais em Tebaida ( Alto Egito ), nascido por volta de 100 e morreu cerca de 168 a Canopus , é um astrônomo , astrólogo , matemático e geógrafo grego que viveu em Alexandria ( Egito ). Ele também é um dos precursores da geografia . Sua vida não é muito conhecida. Seu cognome Ptolemæus parece indicar origens greco-egípcias e seu nome Claudius tinha cidadania romana. Seu prænomen é desconhecido.

Ptolomeu é o autor de vários tratados científicos, dois dos quais exerceram grande influência nas ciências ocidentais e orientais. Um é o tratado de astronomia, agora conhecido como Almagest (arabização de Ἡ Μεγάλη Σύνταξις  / hê Megálê Súntaxis , La Grande Composition , então Ὴ μεγίστη , ʿē megístē , La Très Grande , al-Mijisti , mas cujo título original em grego era Μαθηματική σύνταξις , Mathēmatikḗ súntaxis , Composição matemática ). A outra é a Geografia , que é uma síntese do conhecimento geográfico do mundo greco-romano.

O trabalho de Ptolomeu é a continuação de uma longa evolução da ciência antiga baseada na observação das estrelas, números, cálculos e medições. Com a obra de Aristóteles , é essencialmente por meio dela, transmitida tanto pelos árabes quanto pelos bizantinos, que o Ocidente redescobrirá a ciência grega na Idade Média e no Renascimento, deixando no escuro seus predecessores. No entanto, Ptolomeu não deixa de fazer referências abundantes a eles em seus escritos.

Astronomia

O Almagesto é o único trabalho antigo completo sobre astronomia que chegou até nós. Os astrônomos da Babilônia, que registraram cuidadosamente, durante séculos, observações preciosas (posições de estrelas, datação de eclipses, etc.), desenvolveram técnicas de cálculo para prever fenômenos astronômicos. Astrônomos gregos, como Eudoxus de Cnidus e especialmente Hipparchus , integraram essas observações e as deles em modelos geométricos (teoria dos epiciclos ) para calcular os movimentos de certos corpos celestes. Em seu tratado, Ptolomeu pega esses diferentes modelos astronômicos e os aprimora, em particular adicionando a noção de equante . Suas observações, somadas aos dados anteriores à sua disposição, oferecem uma perspectiva que permite uma medição muito precisa dos movimentos astronômicos, já que o conjunto cobre um período de quase nove séculos. Suas "tabelas" de dados, essenciais para determinar a posição das estrelas, na verdade têm como ponto de partida o primeiro dia do calendário egípcio do primeiro ano do reinado de Nabonassar , ou seja, 26 de fevereiro de 747 antes do nosso Tempo. Ptolomeu, portanto, dedica o modelo geocêntrico de Hiparco, que muitas vezes lhe foi atribuído e que foi aceito por mais de 1.300 anos, embora de forma descontínua. Na Europa Ocidental, de fato, caiu no esquecimento no início da Idade Média, antes de ser redescoberto no final desse período. No entanto, essa herança foi preservada no mundo árabe e, com altos e baixos, no Império Romano do Oriente e mais especificamente em Bizâncio . Além disso, seu método e modelo de cálculo foram adotados com algumas modificações no mundo de língua árabe e na Índia , porque eram de precisão suficiente para atender às necessidades de astrônomos, astrólogos, portadores de calendário e navegadores.

Ptolomeu também produziu uma espécie de manual essencialmente prático, denominado "As tabelas fáceis" ou às vezes "As tabelas manuais" (Πρόχειροι όανόνες, Prócheiroi kanónes), derivado do Almagesto e destinado a realizar cálculos da posição das estrelas e eclipses .

Ao contrário da crença popular, Ptolomeu não aceitou a ideia de Aristóteles de que as estrelas eram colocadas em esferas de cristal. Ele até diz expressamente que "as estrelas nadam em um fluido perfeito que não se opõe a nenhuma resistência aos seus movimentos". Não sabemos se essa visão, próxima à noção de vazio, já estava presente em Hiparco ou se deveria ser creditada a Ptolomeu. Para ele, deferentes e epiciclos são, portanto, imateriais. Nicolas Halma também considera que sua escolha do sistema de epiciclos em vez de excêntricos resulta mais de um desejo de fazer cálculos mais convenientes do que de uma fé na realidade material do sistema.

Durante os treze séculos que se seguiram, a astronomia não fez muito progresso. O Almagesto e as tabelas fáceis receberam apenas pequenas correções, embora no final da Antiguidade tenham sido objeto de numerosas publicações de "comentaristas", o mais conhecido dos quais é Théon d. 'Alexandria . Foram, portanto, as tabelas e textos de Ptolomeu que foram usados ​​direta ou indiretamente como referências até que o progresso dos instrumentos de observação e a teoria desenvolvida por Nicolau Copérnico e aperfeiçoada por Johannes Kepler não levou ao seu abandono. Mas foi com grande dificuldade: o sistema heliocêntrico de Copérnico (1543), apoiado por Galileu (1630) foi rejeitado pela Igreja Católica e Galileu foi forçado a renunciar oficialmente às suas teorias em 1633. O modelo de Ptolomeu não foi abandonado definitivamente pela Igreja apenas sob o Papa Bento  XIV por volta de 1750.

O Almagesto também contém um catálogo de 1.022 estrelas agrupadas em 48 constelações . Embora não cubra toda a esfera celeste , esse sistema foi a referência por muitos séculos. Ptolomeu também descreveu o astrolábio , provavelmente inventado por Hiparco .

Geografia

O mapa de Ptolomeu, reconstruiu a XV ª  século de sua Geografia , diz que o país Serica , Sinae ( China ) no extremo direito, além da ilha de Taprobana ( Sri Lanka , grande) e Aurea Chersonesus ( Sudeste Asiático ).

Sua geografia é outra obra importante. É uma compilação do conhecimento geográfico da época do Império Romano sob o reinado de Adriano (125), abrangendo todo o mundo conhecido ou ecumeno . Tal como acontece com o modelo do sistema solar em Almagesto , Ptolomeu unifica todas as informações à sua disposição em um grande todo.

O primeiro livro define o assunto da Geografia e apresenta os dados e métodos usados ​​para desenhar um mapa do mundo habitado. Nos livros dois a sete, ele fornece listas topográficas e atribui coordenadas a todos os lugares e características geográficas, listando 8.000 lugares na Europa, Ásia e África dispostos em uma grade. Começa no oeste com a Irlanda e a Grã-Bretanha e segue para o leste através da Alemanha, Itália, Grécia, Norte da África, Ásia Menor e Pérsia, para terminar na Índia. O Livro Oito apresenta uma divisão da ecúmena em vinte e seis mapas regionais: dez para a Europa, quatro para a África (chamada Líbia ) e doze para a Ásia. Além de dados geográficos, Ptolomeu integra dados astronômicos e testemunhos de viajantes.

Ptolomeu dá à Terra uma forma esférica e estima sua circunferência em 180.000  estádios (aproximadamente 33.345  km ). Ele segue nisto o cálculo de Posidonios ao invés do de Eratóstenes revisado por Hiparco , que o estimou em 250.000  estádios (cerca de 39.375  km ), muito mais próximo dos 40.075 km realmente medidos no equador. Pegando o sistema sexagesimal dos babilônios , ele divide essa esfera em 360 ° de longitude de 500 estágios cada. Ele fixa o meridiano de longitude zero no ponto mais ocidental conhecido em seu tempo, ou seja, as Ilhas “Fortunata” ( Ilhas dos Bem-aventurados ), identificadas com as Ilhas Canárias . Ele estabelece intervalos de cinco graus correspondentes a um terço de uma hora de equinócio e cobrindo um total de doze horas, ou 180 ° até Cattigara, que corresponderia a Hanói .

A latitude foi medida de Thule , localizada a 63 ° N, até Agisymba, na África subsaariana, que Ptolomeu coloca a 16 ° S, a distância total cobrindo 79 °. Colocando o grau zero no equador , como hoje, Ptolomeu calcula a distância de acordo com a duração do dia mais longo e não em graus , porque a duração do solstício de verão vai de doze a vinte e quatro horas. E à medida que nos afastamos o equador em direção ao círculo polar . Ele usa incrementos de quinze minutos por grau, até o paralelo onde o dia mais longo dura quinze horas e meia e depois muda para incrementos de trinta minutos, até Thule, onde o dia mais longo dura vinte horas.

Na zona assim delimitada, distingue-se uma parte habitável, estendida em longitude por mais de 72.000 estádios e em latitude por mais de 40.000 estádios.

Ptolomeu se baseou principalmente no trabalho de outro geógrafo, Marinos de Tire , cujas obras não chegaram até nós. Também se baseou nos índices geográficos dos impérios romano e persa , mas a maioria de suas fontes além do perímetro do império eram de origens duvidosas.

Mapas baseados em critérios científicos foram feitos desde Eratóstenes , mas Ptolomeu aprimorou as técnicas de projeção cartográfica , utilizando a geometria de Euclides , produzindo um método que exerceu uma influência duradoura sobre como projetar uma esfera em uma superfície plana. Seus mapas são orientados para o norte. Um mapa do mundo desenvolvido com base em sua geografia foi exibido em Autun, na França, no final da era romana.

Esta obra foi perdida no mundo ocidental até sua redescoberta pelo Bizantino Máximo Planudes , por volta de 1300. Os mapas dos manuscritos de Geografia podem datar apenas deste período. No entanto, no início do IX th  século, foi objecto de uma tradução em árabe do califa abássida Al-Mamun , e servirá como base para o trabalho de Ibn Khordadhbih , Ibn Khordadbeh , Suhrab, Al Kwarizmi , Ibn Hauqal e Al Idrissi . Será uma das fontes da Imago Mundi de Pierre d'Ailly , que inspirou Cristóvão Colombo  : em particular, o capítulo 8 mostra a estimativa de Ptolomeu para a circunferência da Terra, inferior em 14% à realidade.

A partir do  século XV surgem as primeiras reproduções impressas em papel. A cópia impressa pela primeira vez da Geografia foi publicada com as cartas em Bolonha em 1477, seguido rapidamente por uma edição romana de 1478. Até o XVI th  século, o livro serviu como um guia para todos os viajantes, cada descoberta, pensou reconhecer algum país já indicado por ele.

Astrologia

O tratado de astrologia de Ptolomeu, o Tetrabiblos ( tetra significa em grego "quatro" e biblos "livro"), foi a obra astrológica mais famosa da antiguidade. Ele exerceu uma grande influência no estudo dos corpos celestes na esfera sublunar . Assim, ele forneceu explicações sobre os efeitos astrológicos dos planetas , de acordo com seus aspectos  : aquecimento, resfriamento, molhamento e efeito de secagem . Este lida em particular com astrologia individual em quatro livros que consiste em uma interpretação temática usando a ereção de um mapa baseado em uma tabela que determina a localização dos sete planetas (incluindo o Sol) conhecidos na era em um ponto.

Ptolomeu acreditava que a astrologia é como a medicina, que é hipotética devido a muitos fatores variáveis ​​a serem considerados. Esses fatores eram para ele principalmente, a raça, o país e a educação que afetariam uma pessoa, bem como a posição dos planetas no céu no momento do nascimento.

Ao contrário de Vettius Valens , parece hoje que Ptolomeu, mais conhecido por seu tratado sobre astronomia, foi um compilador (um teórico) em astrologia. A principal inovação de Ptolomeu é teórica: a escolha do zodíaco tropical em vez do zodíaco sideral . Assim, lemos no Tetrabiblos: “Há dois signos trópicos , por um lado o primeiro intervalo de 30 ° desde o solstício de verão , ou seja, o signo de Câncer , por outro, o primeiro desde o solstício de inverno ou Capricórnio . Existem mais dois signos equinociais , a primavera de Áries e o outono de Libra . " De fato, Ptolomeu acreditava que a Terra estava imóvel no centro do mundo. Ele concluiu que os pontos equinociais e solsticiais estavam fixos no céu. No entanto , Hiparco , predecessor de Ptolomeu, havia observado que havia uma lacuna entre as estrelas fixas e os pontos que marcavam o início das temporadas. Supõe-se que esses pontos sejam estacionários, o movimento só poderia ser devido às estrelas.

Deve-se notar que em Ptolomeu não há confusão entre astronomia e astrologia: tudo o que diz respeito à última disciplina está contido no Tetrabiblos, não uma linha sobre este assunto no Almagesto.

Detalhe da Escola de Atenas, de Rafael , mostrando Zoroastro e Ptolomeu.

Música

Ptolomeu também escreveu Harmônicos , um tratado de marco na musicologia sobre a teoria e os princípios matemáticos da música. Depois de uma crítica das abordagens de seus predecessores, Ptolomeu argumenta para basear os intervalos musicais em proporções matemáticas (ao contrário dos defensores de Aristoxene) apoiadas pela observação empírica (ao contrário da abordagem puramente teórica da Escola Pitagórica ). Ele apresentou suas próprias divisões do tetracórdio e da oitava , que derivou com a ajuda de um monocórdio. O interesse de Ptolomeu na teoria e nos princípios da harmonia na música também aparece em uma discussão sobre a música das esferas .

Os harmônicos contribuir para o desenvolvimento da teoria da música de Boécio De Musica Institutione o VI th  século.

Matemática

Ptolomeu descobriu um teorema que leva seu nome: em um quadrilátero convexo inscrito em um círculo, o produto das diagonais é igual à soma dos produtos dos lados opostos.

Em sua Composição Matemática (Almagesto), Ptolomeu quer seguir o método rigoroso da geometria e prosseguir pela demonstração introduzida pelos matemáticos da Grécia antiga , cujo representante essencial é Euclides . A sua trigonometria é baseada na de Hiparco, mas também conhece o trabalho de Menelau , que desenvolveu a trigonometria esférica e que cita no Almagesto.

Ótico

Em Óptica , Ptolomeu lida com as propriedades da luz, incluindo reflexão , refração e cor , bem como uma teoria da visão, com base em uma combinação das propriedades de objetos observados, luz e de um "fluxo visual" ( visus em o texto latino) dos olhos. Este trabalho é uma parte importante da história da óptica , mas chegou até nós através de uma tradução latina feita por Eugene da Sicília por volta de 1150, ela própria de uma tradução árabe um tanto imperfeita e incompleta.

Neste assunto como nos outros, Ptolomeu tem contribuições anteriores. Alguns elementos ópticos estão presentes em Euclides , Arquimedes e Garça de Alexandria , mas as fontes precisas de Ptolomeu são discutidas. A escrita da Óptica é posterior ao Almagesto, como atesta em particular alguns progressos feitos por Ptolomeu no intervalo. Assim, a Óptica expõe o fenômeno da refração atmosférica que ocorre durante a observação do sol ou da lua, fenômeno totalmente ignorado no Almagesto.

Notas e referências

Notas

  1. Essencialmente, o XII th  século , com Gerard de Cremona com fontes árabes.
  2. Em particular para Hipparchus . Veja, por exemplo , Almageste , IV , 2, onde ele destaca a qualidade de suas observações da anomalia lunar. Mas Gérard de Cremona em sua tradução do Almagesto não reconhece Hipparchus sob seu nome árabe Abrachir .
  3. Muitos comprimidos cuneiformes com esse tipo de conteúdo chegaram até nós. O mais antigo que temos são o VII ª  século aC
  4. Freqüentemente falamos do “sistema de Ptolomeu”. Isso não é errado, se com isso queremos dizer "o sistema usado por Ptolomeu", mas a expressão sugere que ele é o iniciador, o que é incorreto. O próprio Ptolomeu, no Almagesto, fala dos epiciclos de Hiparco em várias passagens anotadas no prefácio de Halma .
  5. Certas tabelas, porém, são mais precisas lá do que no Almagesto, chegando às vezes até a sexta esquina (a terceira vale 1/60 de segundo, a quarta 1/60 de terceiro etc.). Isso mostra que Ptolomeu, mesmo após a publicação do Almagesto, não parou de refinar sua obra. As "Tabelas Fáceis" também aparecem nas Halma, tabelas , onde são consideradas uma espécie de apêndice do Halma, Almageste . Mas eles são claramente posteriores.
  6. Veja neste ponto a análise muito precisa do prefácio de Halma  : "(Ptolomeu) não considerava, ele mesmo, suas (suas hipóteses) como reais, mas apenas como meio de explicar a ordem celeste que parecia impossível para Hiparco para explicar de outra forma que não por esta complicação de círculos. Pensamos, diz ele em seu livro III , que é aconselhável demonstrar os fenômenos pelas hipóteses mais simples, desde que 'eles suponham que a paróquia não contradiga nada de importante pelas observações (...) Isso é confirmado pela forma como Ptolomeu afirma essas hipóteses e as deduções que extrai delas. Quase sempre ele usa o futuro ἔσαι sera, ou o condicional em vez do presente, como no capítulo 4 do livro IV , onde ele diz que as similitudes não só das relações, mas também dos tempos de um e de outro movimento seriam assim salvas (διασώζοιντο ἄν). A escolha arbitrária que ele propõe em seu livro III , do excêntrico ou do o epiciclo para explicar o movimento do sol mostra claramente que não considera um como mais real do que o outro. Ele escolheu entre os meios que a geometria lhe proporcionou, aqueles que julgou mais adequados para representar os efeitos que desejava contabilizar, "A geometria é apenas um instrumento nas mãos do astrônomo", diz Bailly, este instrumento não cria qualquer coisa, mas ao se prestar ao uso que se faz dele em boas observações, dá resultados corretos. "
  7. Esse abandono de fato ocorreu em várias etapas. Veja heliocentrismo .
  8. Muitos historiadores acreditam que os mapas que mostram a sua geografia foram realmente adicionado nas cópias bizantinas da XIII th  século. Veja Brotton , 2012 , p.  20-21
  9. Mais precisamente, trata-se da Catoptrica (Teoria dos espelhos) atribuída a Euclides. Mas sua autoria para este trabalho não é certa ( Smith 1996 , pp.  4 e 14-17).

Referências

  1. (em) Ptolomeu na Encyclopædia Britannica
  2. Veja Renascimento Medieval .
  3. Figura da Terra na Antiguidade - L. Génicot, As Linhas de Cume da Idade Média , Casterman, 1961
  4. Esses fatos são indicados, em pequenos toques, no próprio Almagesto e sublinhados no prefácio de Halma .
  5. Veja Geocentrismo .
  6. Astronomy Babylonian - J. Mogenet, A. Tihon, R. Royez, A. Berg, Nicephore Gregoras: Calculation of the solar eclipse of July 16, 1330 , Corpus of Byzantine astronomers, I Gleben, 1983, página 96. ( ISBN  9789070265342 ) - Ptolomeu, Almagesto III , 6.
  7. Veja Ciência e tecnologia no Império Bizantino
  8. P. Couderc, História da astronomia , Que sais-je n o  165, p.  56 e segs.
  9. Almageste , XIII, 12. - prefácio de Halma , p.  15-16.
  10. A. Tihon, Theon et d'Alexandrie les Tabelas FACILES de Ptolémée , Arquivos Internationales de História des Sciences , 1985 (35), n o  1124-115, p.  106-123 , ( ISSN  0003-9810 ) .
  11. Como um exemplo do uso tardio dos textos de Ptolomeu, pode-se encontrar os detalhes de um cálculo de eclipse de acordo com o Almagesto e de acordo com as Tabelas Fáceis em J. Mogenet, A. Tihon, R. Royez, A. Berg, Op. Cit.
  12. Brotton , 2012 , p.  19
  13. Brotton 2012 , p.  43
  14. Brotton 2012 , p.  45
  15. Brotton , 2012 , p.  46
  16. Nova biografia geral desde os tempos mais antigos até os dias atuais. De Hoefer (Jean Chrétien Ferdinand), volume 41, página 161 (Firmin Didot, Paris - 1866).
  17. Brotton , 2012 , p.  48
  18. Brotton , 2012 , p.  51
  19. Brotton , 2012 , p.  60-66
  20. Jacques Halbronn observa com interesse (em L'Étrange Histoire de l'astrologie , co-escrito com Serge Hutin ), que onde Ptolomeu recorre a diferenças angulares entre os planetas , o outro farol da astrologia tradicional , John the Baptist Morin de Villefranche usa as casas astrológicas e, novamente de acordo com Halbronn, “poucos astrólogos e historiadores reconheceram que a astrologia é composta de sistemas diferentes e rivais. ” (Página 93).
  21. La Tétrabible , livro I , parte 4, capítulo 3.
  22. Fonte: (In) James Herschel Holden, A history of horoscopic astrology , American Federation of Astrologers, 2 e  edition, 1996.
  23. em seu tempo, os dois zodíacos foram sobrepostos por causa da precessão dos equinócios .
  24. La Tetrabible , Bibliotheca Hermetica, SGPP, Denoël, página 46.
  25. Copérnico , cujo sistema (visão heliocêntrica ) substituiu o de Ptolomeu (visão geocêntrica ), descobriu que é a Terra que se move para criar as estações e, portanto, que as estrelas são fixas.
  26. Denis Labouré, Iniciação à astrologia sideral , Guy Trédaniel / Pardès, 1986, página 217.
  27. Thomas Henri Martin , Estudos sobre o Timeu (Platão) , t.  1, Paris, Ladrange ,, p.  412
  28. Ptolomeu, tradução de Nicolas Halma , composição matemática , t.  I, 1927 (reedição) ( ler online ) , p.  2a9
  29. Almageste , I , 9  " , no site pessoal de Serge Mehl r
  30. Almageste , VII , 3.
  31. Ou Eugene de Palermo. Lejeune 1956  : ver p. 9-20 e 132-135. O Livro I , que contém a teoria da visão, está perdido. Seu conteúdo só é conhecido por um breve resumo no início do Livro II . As linhas principais da teoria da visão de Ptolomeu também podem ser deduzidas de indicações espalhadas no texto, por exemplo em II , 12.
  32. Smith 1996 , p.  4 e 14-17
  33. Smith 1996 , p.  2-3.

Bibliografia

Obras de Claudius Ptolomeu

  • Claudii Ptolemaei inerrantium stellarum apparitiones, ac significationum collectio ( trad.  Federico Bonaventura ), Veneza, Francesco De Franceschi,( leia online ).
  • Composição matemática de Claude Ptolémée (13 livros, cerca de 140) , Paris, editada e traduzida pelo Padre Nicolas Halma (2 vol.), 1813-1817 ( ler online )
    reeditado Paris, Hermann, 1927. "Transcrito" em Ptolomeu's Almagest , GJ Toomer, Londres, 1984 (reeditado Princeton, 1998) e incluído em Le livre unique de l'astrologie (síntese da obra de Ptolomeu), edições NiL, 2000 ( ISBN  2- 84111-159-8 )
  • "Mesas fáceis" , em Halma, Almageste
  • La Tétrabible (4 livros), Loge Astrologique de France, 1985. A bíblia da astrologia antiga ( Jean-Baptiste Morin de Villefranche será a bíblia da astrologia clássica). Extratos: Manual de Astrologia. La Tétrabible , introdução de Elizabeth Teissier, Les Belles Lettres, coleção “Aux sources de la tradição”, 1993.
  • Claude Ptolémée, Tratado de geografia , 8 livros ( lista detalhada de edições e manuscritos ):
    • A tradução francesa de Nicolas Halma (edição Ebherhart, Paris 1828, em Gallica ) inclui apenas o primeiro livro com o final do sétimo (volume 1) e o oitavo livro (volume 2), ou seja, a parte teórica excluindo as listas de locais com coordenadas (ver pág. XV e XXI ):
    • Claudii Ptolomei Cosmografia . Texto em latim, tradução de Jacobus Angelus (Itália), 1460-1477. Códice digitalizado disponível em Somni .
  • Teoria harmônica , proveniente da obra original Les Harmoniques . Texto em grego editado por Ingemar Düring, Die Harmonielehre des Klaudios Ptolemaios , Göteborg, Elander, 1930.
  • Albert Lejeune , L'Optique de Claude Ptolémée: (5 livros), na versão latina após o árabe do Emir Eugene da Sicília, edição crítica e exegética acrescida de uma tradução francesa e complementos , Lovaina, Bibl. universidade,( Repr.  2 nd Brill (Leiden, New York), 1989) ( lido online )

Estudos sobre Cláudio Ptolomeu

  • Germaine Aujac, Claude Ptolémée, astrônomo, astrólogo, geógrafo. Conhecimento e representação do mundo habitado , Committee for Historical and Scientific Work, Paris, 1993 ( ISBN  2-7355-0284-8 )  ; p.  428.
  • Pascal Charvet , O livro único de Astrologia , ed. Nilo, 2000.
  • Pierre Costabel , Ptolomeu (Claude) II ª  século , na Enciclopédia Universalis , Paris, av. 1989; ap atualizado. 1993 [consultado na ed. de 2004].
  • Patrick Gautier Dalché, A geografia de Ptolomeu no Ocidente, século 4 a 16 , Turnhout, Brépols, 2009. 1 vol. (442 p.): Ill. ; 28  cm . - (Terrarum orbis; 9). ( ISBN  978-2-503-53164-9 )
  • N. Halma , “Prefácio” , empor Halma, Almageste
  • (en) A. Mark Smith , teoria da percepção visual de Ptolomeu: uma tradução para o inglês da Óptica com Introdução e Comentário , Filadélfia, Sociedade Filosófica Americana,, 300  p. ( ISBN  978-0-87169-862-9 , leia online )
  • (pt) Jerry Brotton , A história do mundo em doze mapas , Londres, Penguin Books,, 514  p. ( ISBN  978-0-14-103493-5 )

Pseudo-Ptolomeu

  • Frases ou Centiloquia  : Claude Ptolémée, La Tétrabible ou os quatro livros de juízos das estrelas, seguidos de 'O centiloquia ou as cem frases' , tradução de Nicolas Bourdin. Paris, Culture, Art, Leisure, 1974, 285 p. O Centilóquio é de um Pseudo-Claudius Ptolomeu (Estêvão de Messina, por volta de 1260; ou Ahmad ibn Yusuf , morreu em 912), e o Comentário sobre o Centilóquio é de Nicolas Bourdin (1651).
  • Opus imaginum  : cf. Jean-Patrice Boudet, “Um tratado sobre magia astral árabe-latina: o Liber de imaginibus du pseudo-Ptolémée”, in Claudio Leonardi, Natura, scienze e società medievali: studi in onore di Agostino Paravicini Bagliani , Florença, 2008, p.  17-36 .

Homenagens

Apêndices

Artigos relacionados

links externos

Esperamos que as informações que coletamos sobre Claudius Ptolemy tenham sido úteis para você. Se for o caso, não se esqueça de nos recomendar a seus amigos e familiares, e lembre-se que você pode sempre nos contatar se precisar de nós. Se, apesar de nossos melhores esforços, você acha que o que fornecemos sobre _título não é totalmente exato ou que devemos acrescentar ou corrigir algo, ficaríamos gratos se você nos avisasse. Fornecer as melhores e mais completas informações sobre Claudius Ptolemy e qualquer outro assunto é a essência deste website; somos movidos pelo mesmo espírito que inspirou os criadores do Projeto Enciclopédia, e por esta razão esperamos que o que você encontrou sobre Claudius Ptolemy neste website o tenha ajudado a expandir seu conhecimento.

Opiniones de nuestros usuarios

Livia Do Nascimento

Finalmente um artigo sobre Claudius Ptolemy fácil de ler.

Irene Magalhaes

A entrada em Claudius Ptolemy foi muito útil para mim.

Daiane Duarte

Faz tempo que não vejo um artigo sobre Claudius Ptolemy escrito de forma tão didática. Gostei.